Praça dos Girassóis — Palmas, TO

(63) 3213-3633

É pecado não devolver o dízimo?

Imagem: Internet

Essa é uma dúvida que muitos fiéis têm, sobretudo devido os discursos de inúmeras igrejas de raiz protestante, que interpretam os textos do Antigo Testamento acerca do dízimo e ora colocam suas necessidades materiais sob a responsabilidade dos cristãos, de modo impositivo, ora condenam os católicos por não fazer o mesmo. Contudo, é preciso lembrar o contexto cultural e religioso do povo de Israel na ótica da Lei do Amor, trazida por Jesus Cristo.

O dízimo não é uma imposição divina – porque Deus não precisa de bem temporal algum – , muito menos o pagamento de uma taxa obrigatória. Ao contrário, dízimo é sinônimo de generosidade, e parte da disposição do coração de cada membro da Igreja. O Documento 106 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil afirma que “A decisão de contribuir com o dízimo nasce de um coração agradecido por ter encontrado o Deus da vida e experimentado a beleza de sua presença amorosa no dia a dia.(Doc. 106, n.12).

A partilha brota de uma experiência de gratidão ao Senhor, na certeza de que como Deus Providente, Ele cuida de tudo, e provê tudo. Logo, é possível sentir a livre iniciativa de devolver parte do que recebo de forma generosa.

Conheça a relação do dízimo com a evangelização

O que diz a Igreja?

Segundo o Catecismo, “o quinto preceito (‘prover às necessidades da Igreja, segundo os legítimos usos e costumes e as determinações’) aponta ainda aos fiéis a obrigação de prover às necessidades materiais da Igreja consoante as possibilidades de cada um” (n. 2043). Logo, não se impõe o dízimo, nem se estipula uma porcentagem, a Igreja determina que os fiéis contribuam com as necessidades religiosas conforme suas condições.

O valor é calculado nos 10% do meu salário? O importante a ser refletido não é a quantia, mas a intenção. Não é o valor da sua contribuição, mas o sentimento de gratidão, partilha e solidariedade que lhe faz capaz de dar a partir do que você recebe.

Portanto, não é pecado não devolver o dízimo. É pecado não colaborar com as necessidades da Igreja num sentimento de indiferença com sua fé e os irmãos mais desfavorecidos.

Faça essa experiência de fé: Torne-se um dizimista!

Procure a secretaria da paróquia em horário de expediente ou o Plantão do dízimo nos nossos horários de missa.

 

2 Comentários para “É pecado não devolver o dízimo?”

  1. suely disse:

    Devolvo meu dizimo conforme a igreja nos ensina. Tenho uns produtos da Natura que vendo um aqui outro acolar. As vezes recebo com mais de trinta dias e as vezes nem recebo. Compro toalhas, corporal, manustegio e outras coisas que for precisando para minha igreja. Devo devolver o dizimo dessas vendas?

  2. catedral disse:

    Olá Suely, como falamos no artigo: a essência do dízimo é sempre separar uma parcela de gratidão diante do que vc ganha, em vista das necessidades da Igreja. Se você se sente inclinada a fazê-lo quanto a estas vendas, o faça. Se no seu coração vc tem consciência do seu serviço a Igreja, e doação, também seja livre! O importante é dá com alegria, o pouco ou o muito que se oferece!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.