Praça dos Girassóis — Palmas, TO

(63) 3213-3633

Sem categoria › 08/12/2020

Carta Aberta do Presbitério da Arquidiocese de Palmas

PRESBITÉRIO DA ARQUIDIOCESE DE PALMAS

CARTA ABERTA

Aos irmãos e irmãs da Igreja em Belém do Pará,

Aos fiéis santificados em Jesus Cristo, chamados à santidade, juntamente
com todos os que, em qualquer lugar que estejam, invocam o nome de nosso
Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso; a vós, graça e paz da parte de Deus,
nosso Pai, e da parte do Senhor Jesus Cristo! (1Cor 1,2-3)
Nós, presbíteros da Arquidiocese de Palmas, vossos irmãos, recebemos
com surpresa a notícia que recai sobre o Arcebispo de Belém, nosso estimado
Dom Alberto Taveira Corrêa: acusações contra sua moralidade.
Durante treze anos tivemos Dom Alberto como nosso 1º Arcebispo. Em
uma terra de missão, onde tudo começava a ser construído do nada, nesta
capital mais nova do Brasil, o amor de Deus pelo seu povo foi testemunhado pela
vida e missão deste epíscopo da Igreja.
Pastor cheio de amor por Deus, possui um coração zeloso pelo seu povo,
desde os mais pequenos aos mais idosos. De reta doutrina, sã liturgia,
irrepreensível conduta, brilha até hoje, nestas terras tocantinenses, o
testemunho de vida de Dom Alberto.
Grande parte de nosso jovem presbitério teve a pessoa de Dom Alberto
como incentivador vocacional, formador de nosso chamado sacerdotal,
orientador em nossa caminhada, sustento nas dificuldades enfrentadas. Foi para
nós um autêntico bispo, um pai de família, um amigo do coração. Em grande
parte de nós, esteve presente em nossa vida desde nossa juventude e por isso
podemos dar testemunho a vós, irmãos e irmãs, da irrepreensível conduta moral
de Dom Alberto entre nós. Por isso nós estamos convictos de que a verdade
prevalecerá e será demostrada a improcedência das calúnias que hoje pesam
sobre ele.
A ti, estimadíssimo Dom Alberto, nosso presbitério vem a público dizer o
que o teu coração já sabe: este presbitério que te ama em Cristo é grato por todo
o bem que nos fizeste; nós cremos, sem sombra de dúvidas, em tua probidade
de conduta; cremos na sinceridade de tuas palavras e estaremos unidos a ti
neste momento de dor e aflição. Queremos garantir a ti as nossas orações; que
elas possam ser um bálsamo sobre as feridas que te foram injustamente
infligidas, mas que sabemos que servirão para a maior glória de Deus.
Estimado Dom Alberto, que a Palavra de Deus continue sendo tua
fortaleza, por isso “sofre comigo pelo Evangelho, confiando no poder de Deus”
(2Tm 1,8), “Assume o teu quinhão de sofrimento como bom soldado de Cristo”
(2Tm 2,3) e não te esqueças que “Bem-aventurados sereis quando vos
caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra
vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa
recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de
vós” (Mt 5,11-12).

Palmas, 07 de dezembro de 2020

Assinam esta carta aberta:
Pe. Agnaldo Alves de Camargos
Pe. Alfredo Gilberto Silva
Pe. Bernardo José Teixeira da Rocha
Pe. Carlos Adriano Sales Fernandes
Pe. Carlos Rodrigo Euzébio Bertozo
Pe. Edinei dos Reis Pereira
Pe. Edionilson Alves Batista
Pe. Eduardo Augusto Zanom
Pe. Eduardo Llerena Cruz
Pe. Eduardo Ribeiro Gonçalves
Pe. Élcio Aparecido Gomes
Pe. Evandro Luís Marques Landri
Pe. Fábio Gleiser
Pe. Flávio Barraque Brandão
Pe. Geraldo Silva dos Santos
Pe. Héctor Eduardo Veloso Muñoz
Pe. Helton Pereira de Oliveira
Pe. Jairon Bezerra de Carvalho
Pe. João Camilo Macário
Pe. João Paulo Veloso
Pe. José da Cruz Gomes de Araújo
Pe. José Renilton da Paixão de Lima
Pe. Lenício da Silva Nascimento
Pe. Luciano Zilli
Pe. Márcio Ferdinando de F. Gonçalves
Pe. Marcos Teles Azevedo
Pe. Martins Rodrigues Putêncio
Pe. Moisés Vieira Gomes
Pe. Paulo Cristiano Luz Frade
Pe. Reginaldo Albuquerque da Silva
Pe. Sérgio de Sousa Ramos

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.