Notícias › 19/01/2024

Crisma confirma fé de 118 catequizandos

No dia 9 de dezembro, 118 jovens e adultos receberam o Sacramento da Crisma. O Arcebispo de Palmas, Dom Pedro Brito Guimarães, presidiu a celebração.

“É motivo de honra e de glória para mim. A Crisma cabe ao bispo porque é uma confirmação da fé e ela precisa ser feita por quem tem a responsabilidade de zelar e governar a Igreja. É um reconhecimento de firma, significa dizer que o fiel tem o selo da autenticidade da fé. Quem se crisma está fazendo o essencial da fé, tem aquilo que Deus quer, ou seja, batismo, Eucaristia, confissão, confirmação. Agora, é preciso pôr em prática e vivenciar tudo isso”, ressalta Dom Pedro.

Enzo Ferreira Amorim (16 anos) ainda não chegou à maioridade civil, mas entende que receber a Crisma é atingir uma espécie de maioridade espiritual. “Significa poder participar ativamente da comunidade, evoluir como cristão”, comenta.

Thayane Ribeiro Azevedo (17 anos) avalia a Crisma como a realização do desejo de estar mais próxima do Senhor. “O que levo de ensinamento da Catequese é que Jesus nos libertou de toda escravidão da morte e pecado. Temos o dom da liberdade, mas com limites e responsabilidades. Nós, cristãos, devemos nos comportar como seres guiados por Deus e agir conforme os mandamentos”.

Catequista há cinco anos, Laura Picoreli Nicodemo entende que o compromisso assumido por ela é de levar a mensagem de Deus aos jovens, ensinar o que os afasta da salvação e reforçar o propósito da Igreja, que é nos levar para o Céu.

“Foi incrível ver o desenvolvimento da minha turma ao longo do ano, participando do Festejo, da preparação de outros eventos da paróquia, servindo como leitores nas Missas. Esse trabalho ajudou a enfatizar a necessidade de doar o tempo para Deus. Meu coração se enche de alegria ao receber respostas de vários crismados aceitando convites para atuar na comunidade, inclusive como catequistas”, comemora Laura.

O futuro dos crismados foi um dos assuntos lembrados durante a fala do Pe. Eduardo Zanom, ao fim da Missa. Ele alertou que cada um deve, agora, encontrar o lugar na Igreja, identificar onde vão servir, a partir dos dons e carismas pessoais.

Ou seja, depois de muitos frutos colhidos na Catequese, o momento é de formar novos semeadores e ter novas colheitas fartas à frente.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.