Praça dos Girassóis — Palmas, TO

(63) 3213-3633

Santo do dia › 25/07/2019

São Tiago Maior, o pescador que virou mártir da fé

São Tiago Maior – Fonte – Internet

Quando foi abordado pela mãe dos filhos de Zebedeu – Tiago e João – acerca de que eles sentassem ao Seu lado na Vida Eterna, Jesus respondeu: “Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?”, o qual eles responderam: “Podemos”. O Senhor já profetizava: “De fato, vós bebereis do meu cálice” (cf. Mt 20, 20-23). Enquanto João bebeu o “cálice” de Cristo de outros modos, coube a São Tiago o primeiro martírio entre os apóstolos. 

Seu martírio aconteceu a mando de Herodes, conforme relata o livro dos Atos dos Apóstolos. “Por aquele tempo, o rei Herodes tomou medidas visando maltratar alguns membros da Igreja. Mandou matar à espada Tiago, irmão de João” (At 12,1-2). Como resultado seu testemunho ressoa até os dias de hoje, devido a sua resposta dada a Cristo: “Sim, Senhor! Beberei do Teu Cálice!”. 

Um caminho de fidelidade e coerência 

Escultura de São Tiago Maior na Basílica de São João de Latrão | Fonte – Internet.

Certamente, o caminho de fidelidade incondicional de São Tiago não foi algo imediato, definitivo e sem percalços. Não se ouve falar dele, na hora da Crucificação, deixando entrever que estivesse entre os apóstolos que fugiram. Foi a partir do derramamento do Espírito Santo em Pentecostes (At 2, 1-5), que foi revestido pela Graça de Deus, venceu seus medos e inseguranças, e com intrepidez testemunhou Jesus até o sangue.

Segundo antiquíssima tradição, após os primeiros eventos da comunidade dos primeiros cristãos, Tiago teria ido anunciar o Evangelho de Jesus na região da Espanha. Retornando a Jerusalém por volta de 44 d. C, teria sido preso e assassinado “à fio de espada” por Herodes. Conta-se que antes de ser martirizado, São Tiago abraçou um carcereiro desejando-lhe “a Paz de Cristo”. Este gesto o converteu de modo que, assumindo a fé em Jesus, foi martirizado juntamente com o apóstolo. 

Após sua morte, dois discípulos teriam recolhido seus restos mortais e os transportaram para a Espanha. Milagrosamente, apenas sete dias depois da partida, a embarcação teria chegado a Ilha Flávia, então capital da Galícia, onde sepultaram-no.

Provavelmente, o cemitério foi abandonado e caiu no esquecimento. Até que, no século 9, um eremita avistou uma chuva de estrelas e, guiado por luzes, encontrou o túmulo do apóstolo. Este local passou a ser conhecido como Compostela (corruptela de campo estelar). Como resultado, a descoberta deu início às peregrinações, vindas de toda Europa, sendo atualmente uma das principais rotas de peregrinação do mundo. 

O que aprendemos com São Tiago 

O testemunho de São Tiago nos deve despertar o Amor a Jesus Cristo e a súplica da Graça de Deus diante dos desafios que enfrentamos. O Senhor questiona os irmãos acerca de aceitarem ou não seu cálice, que nada mais era que a Cruz, e disseram sim. Depois, mesmo com suas inconstâncias e limites foram coerentes com sua resposta e na carne testemunharam o Senhor. Como nos diz a primeira leitura de hoje: “levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos” (2 Cor 4, 10). Sejamos coerentes com nossa fé em Cristo, em meio aos sofrimentos da vida cotidiana, até as últimas consequências.